Cajamar,
- www.cmdc.sp.gov.br

Proposituras

Indicação N°172/2019
Senhor Presidente,
Senhores Vereadores e vereadora,

Solicitando ao Exmo. Prefeito Municipal Sr. Danilo Barbosa Machado para que estude junto a Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer a possibilidade de adquirir equipamentos desfibriladores semiautomáticos, pequenos, leves e de fácil manuseio para cada um dos Ginásios de Esportes e campo de futebol do município.

JUSTIFICATIVA

Justifico a presente indicação, tendo-se em vista que se trata de medida preventiva, visto que, não é raro situações emergenciais de saúde por esforços físicos superiores a capacidade do cidadão, que por muitas vezes não são conhecedores da existência de problemas, podendo vir a sofrer crises coronárias.

As doenças cardiovasculares são a primeira causa de morte em nosso meio. Considerando o total de óbitos cuja causa é definida, as doenças cardiovasculares constituem, hoje, 38% das mortes de homens e 29% das mortes de mulheres no Brasil. Elas afetam os indivíduos em sua meia-idade, em plena capacidade produtiva e num momento em que sua família e seus pais mais necessitam deles. Segundo a fundação Interamericana do Coração e a Sociedade Brasileira de Cardiologia, as doenças cardiovasculares abalam o futuro das famílias e prejudicam o desenvolvimento das nações, privando-as dos trabalhadores em seus anos mais produtivos.

No Brasil, 829 pessoas morrem, por dia, de doenças do coração, sendo o infarto a mais comum. Apenas 49% dos infartos chegam com vidas ao hospital. Com atendimento adequado e rápido, no entanto, pode-se salvar, em média, 35 vidas a mais em cada mil. A parada cardíaca com fibrilação ventricular é uma das emergências mais comuns, nesses casos. Quando se utiliza um aparelho desfibrilador no primeiro minuto, revertendo o quadro com choque elétrico, a sobrevida mais simples e mais importante para o tratamento desses pacientes.

A evolução da tecnologia dos desfibriladores permitiu a existência, hoje, no mercado, de aparelhos externos semiautomáticos, pequenos, leves e de fácil manuseio, passíveis de serem utilizados sem interferir em sistemas ou sobrecarregar instalações elétricas e eletrônicas, presentes no mesmo ambiente. Trata-se, como o próprio nome diz, de aparelhos automáticos, com funcionamento de extrema simplicidade, projetados para serem usados por não-médicos. Um microprocessador analisa o ritmo cardíaco da vítima e informa ao operador se o choque elétrico é ou não indicado. Caso haja indicação, o choque é administrado por meio de eletrodos autoadesivos colados à pelo do tórax da vítima. A colocação de desfibriladores externos semiautomáticos entre os equipamentos disponíveis nos ambientes em que ocorrem grandes concentrações, circulação de pessoas e prática de esportes, constitui um avanço significativo para o equacionamento do manejo de emergências cardiológicas e a redução da mortalidade associada a eles.

Diante do exposto e tendo em vista o cordial relacionamento desta Casa de Leis com o executivo, aguardo estudos técnicos, parecer e atendimento desta propositura.

Plenário Ver. Waldomiro dos Santos, 02 de Maio de 2019.


Claudinei Lucio Rodrigues
NEIZÃO VEREADOR – PROS
Partido Republicano da Ordem Social




Este documento foi disponibilizado no site em 13 de Maio de 2019 às 15h23